Apresentação

A bailarina e coreógrafa contemporânea francesa Fanny Vignals pesquisa há 18 anos as danças do candomblé. O projeto La Bouche du Monde explora os saberes gestuais e as corporeidades das danças de Exu, divindade da comunicação, do imaterial e da sexualidade.

Acreditando na necessidade de desconstrução do imaginário criado desde tempos coloniais em volta desta figura muito especial, a coreógrafa pretende levar a um melhor conhecimento da cultura afro-brasileira no universo da dança na França.

A partir de um trabalho de coletânea de danças em colaboração com pessoas  do candomblé e do mundo artístico-pedagógicos do Estado da Bahia, busca-se evidenciar os elementos transversais que alimentam a dança: cinestesia, imaginário, esferas rituais, mitológicas, histórico-sociais e também políticas e identitárias. 

Nesta abordagem interdisciplinar com a criação de elementos de restituição (escritas, vídeos e partituras de dança) Fanny Vignals colabora com a antropóloga da dança Laura Fléty e o videasta e programador em dança Maxime Fleuriot. Para apoiar suas próprias ferramentas de análise do movimento ela recorre às competências da francesa Johanna Classe, analista  do sistema Benesh, e da brasileira Lenira Peral Rengel, analista do movimento Laban. Esta parte do projeto consista em um trabalho sobre as qualidades de movimento, a respiração, a organização do corpo, a relação ao peso, apoios e espaço, bem como o uso da improvisação.

Atualidades

Casa do Mensageiro – Obra de João Lázaro ©FV – 2020

Aligre

Podcast do programa Lusitania ao vivo do Radio Aligre (Paris-Fr) dia 23 de janeiro 2021. Fanny Vignals estava convidada pela jormalista Marina Caetano.

Baixar a síntese da pesquisa em progresso, em francês (21 de dezembro de 2020).

Apresentação da pesquisa (em processo) no Centre National de la Danse (Pantin-Fr), dia 14 de janeiro 2021.

Captação da apresentação da pesquisa (em processo) no Centre National de la Danse (Pantin-Fr), dia 14 de janeiro 2021.

Calendário

Casa do Mensageiro ©FV – 2020

Janeiro-junho 2019 – França
Concepção e montagem do projeto.

Agosto-setembro 2019 – Bahia – BR
Viagem de preparação de Fanny Vignals. [ler o artigo]

Fevereiro-março de 2020 – Bahia – BR
Pesquisa de campo em Salvador e Camaçari. [ler o artigo]

13 de março de 2020 – Fundação Pierre Verger (Salvador – BR)
“Movimentos trocados”, apresentação publica da pesquisa em processo na Fundação Pierre Verger. [ler o artigo]

16 de março de 2020
Volta antecipada na França por causa da crise sanitária.

De abril a outubro de 2020 – França
Continuação da pesquisa a distancia, leituras, escritas, analises, edições video, partituras.

Dezembro de 2020 – Centre National de la Danse (Pantin – 93 – FR)
Entrega e publicação da síntese do projeto em processo. [baixar o documento]

14 de janeiro de 2021 – Centre National de la Danse (Pantin – 93 – FR)
Apresentação publica da pesquisa : video acessível online a partir do dia 15 de janeiro de 2021, e durante 15 dias  no site do CND.

23 de janeiro de 2021 – Radio Aligre (Paris – Fr)
Fanny Vignals convidada no programa Lusitania. Acessar ao podcast.

20 de janeiro de 2021 – Musée des Confluences (Lyon – 69 – FR)
Apresentação pública da pesquisa (adiada a uma data que sera comunicada ulteriormente).

Do 26 de março até 3 de abril de 2021 – Fundação Royaumont (Asnières-sur-Oise – 95 – FR)
Residência de finalização

Abril de 2021 – Centre National de la Danse (Pantin – 93 – FR)
Entrega do documento final

Segundo semestre 2021 – França e Brasil
Entrega do documento final ao outros parceiros do projeto (terreiros e instituições).

Grupo de trabalho

@Maxime Fleuriot – Rodoviária de Salvador.

Fanny Vignals
Direção do projeto e pesquisa em danças afro-brasileiras.

Laura Flety
Antropóloga da dança e conselho científico.

Maxime Fleuriot
Realização video e conselho a formalização.

Johanna Classe
Notadora de dança, sistema Benesh.

Lenira Peral Rengel
Analista do movimento, sistema Laban.

Contato